sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Buenos bares pt.15

Club Lucero (Nicaragua, 6948, Palermo) - Eu já tava meio do avesso quando fomos ao Club Lucero porque partimos diretamente de outro bar, então tomamos só um trago cada um. É mais barato que os novos bares chiques que estão abrindo na cidade e o ambiente é um pouco menos opressor. Não é temático, mas é bastante simpático, tem um jardim nos fundos, que não aproveitamos muito porque era ainda inverno. Voltaria.

Boticario (Honduras, 5207, Palermo) - Esse lugar já estava na minha lista de must go há muito tempo, amo bares inspirados em coisas estranhas, principalmente quando tudo gira em torno disso. O Boticario é ambientado em uma farmácia antiga, tudo ali tem a ver com remédios ou ervas que curam, desde a decoração até os nomes e a apresentação dos tragos. Os preços são proibitivos, mas vale a pena. Nem que seja para tomar umnzinho e voltar pra casa.



The Little Bar (Nicaragua, 4432, Palermo) - Esse bar atualmente é a sensação de Buenos Aires por uma única razão: cerveja artesanal barata. O preço da pinta - que não é lá grandes coisas - um sábado a noite é mais ou menos o mesmo que o de outras cervejarias em dia de semana em horário de happy hour, ou seja. Fomos a sucursal de Nicaragua, que de little nao tinha nada, são três pisos de bar.

Parque Bar (Thames, 1472, Palermo) - Na mesma linha do Boticario, o Parque Bar é inspirado na botânica e envolve tudo o que tenha a ver com plantas. Novamente, da decoração até o nome, apresentação e ingredientes dos tragos. Fui com Javi e com dois amigos, cada um de nós pediu dois tragos e a regra era não repetir. Com isso acho que acabamos provando quase todos os tragos de autor disponíveis na carta. Saímos muito mais pobres do que entramos, mas felizes.

Os bartenders não são tão bonitos como os de Uptown, mas fazem bons tragos

Nenhum comentário:

Postar um comentário