quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Buenos bares pt.1

Estou há exatos três meses nessa cidade, meu visto de turista já venceu e pouco falei do que realmente importa, não? Sim, os tragos. Dividido em muitas partes, aí vão as impressões de alguns bares que já fui em Buenos Aires, em ordem cronológica. Para mim nada mais que uma utilidade pública.

Van Koning (Baez, 325, Las Cañitas) – Foi o primeiro bar que fui como moradora de Buenos Aires, quem me levou foi o roomie, antes de ser meu roomie, na minha segunda noite na cidade. Ele é lindo, grande e aconchegante, tem uma área externa agradável nos fundos com uma estufa tão potente que me fez suar em bicas em pleno inverno porteño. Bom para tomar cervejas artesanais e importadas. Não é barato.

Olivers Club (Guatemala, 4462, Palermo) – No Olivers eu fui durante uma edição do Mundo Lingo, como já comentei aqui. Não tomei tragos elaborados, apenas Quilmes e um Fernet, meu primeiro Fernet, aliás. O decor é lindo, os preços são razoáveis e sempre tem alguma promoção pra quem chega cedo.

Soria (Gorriti, 5151, Palermo) – Não provei nenhum drink no Soria tampouco, fui porque estava entediada, acabei tomando apenas Heinekens. O ambiente é legal, a música é boa e apesar de eu ter ido em uma sexta-feira não tão fria e de tempo bom, não estava lotado, agradável para andar. Preços normais.

Wrangler’s Saloon (Juramento, 2121, Belgrano) – É um pool bar, mas eu fui mesmo odiando sinuca porque fica a duas quadras da minha casa. O bom é que tem um espaço separado para quem só quer beber um pouco tranquilinho. Dessa vez eu estive muito próxima de tomar meu primeiro trago girlie por aqui, mas no fim acabei na torre de cerveja, que chega à mesa com uns salgadinhos de aperitivo. Fui em um dia de semana e estava vazio. Preços normais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário